A História do AeCP confunde-se com a própria história da Aeronáutica em Portugal

11 de Dezembro de 1909

Foi em 11 de Dezembro de 1909 que foi fundada esta instituição, com sede provisória na Associação dos Engenheiros Civis Portugueses, no Terreiro do Paço. Tinha 30 aderentes, na sua maioria oficiais de engenharia, tendo sido nomeado como seu primeiro presidente o Coronel Fernando Eduardo Serpa Pimentel.

O seu primeiro sócio, o então Capitão Pedro Fava Ribeiro de Almeida, ficaria mais tarde conhecido como o “Major da Feira de Alverca”, por ter sido o primeiro Diretor do Parque de Material Aeronáutico. A principal função do AeCP era, entre outras, a de fazer a propaganda aeronáutica, encetar relações com entidades congéneres no estrangeiro, organizar conferências, concursos de papagaios, publicar artigos e organizar uma biblioteca aeronáutica. Resumindo, fomentar e desenvolver a aviação no nosso país.

Entre 1911 e 1913

Foi este Aero Club que verdadeiramente lançou entre os seus sócios, adeptos e portugueses em geral o gosto pela Causa do Ar, tendo realizado inúmeras palestras, publicado inúmeros artigos sobre aeronáutica na imprensa e lançado, logo no ano de 1911, a sua primeira publicação aeronáutica, o “Boletim do Aero Club de Portugal”, que deu origem à “Revista Aeronautica” no ano seguinte. Em 1913 passou a representar no nosso país a  FAI – Federação Aeronáutica Internacional, sendo o 18.º país inscrito nesta organização.

Em 1913 foi elaborado um projeto-lei para que o AeCP passasse a ser considerado uma instituição de utilidade pública.

Entre 1925 e 1934

Entre 1925 e 1929, ainda na Escola Militar, são formados os primeiros quatro pilotos civis Portugueses, Carlos Eduardo Bleck, Manuel Vasques, Sousa Santos e Maria de Lourdes Sá Teixeira, esta última a primeira mulher piloto portuguesa.

Em 1929 são criadas as suas delegações no Porto, Angola e Moçambique, que mais tarde darão origem aos respetivos aeroclubes.

A 5 de Junho de 1930 é autorizada a criação da Escola de Aviação Civil do AeCP, funcionando na Granja do Marquês em Sintra, sendo adquirido para o efeito o seu primeiro avião, um pequeno “Gipsy Moth”. Foi seu primeiro Diretor o Capitão Sérgio da Silva. Mas, já anteriormente, o AeCP havia entregue diplomas aos 13 primeiros pilotos militares formados na então Escola de Aeronáutica Militar de Vila Nova da Rainha (que muito impulsionou junto do Governo), por ser o representante nacional da FAI, o que veio a ocorrer em 10 de Maio de 1917, numa cerimónia realizada na Sociedade de Geografia.

A 1 de Fevereiro de 1934 é apresentada uma proposta para a criação de uma secção de voo à vela, sendo nela incluída o estudo do relatório e gráfico do voo do hidroplanador “Portugal” do Eng.º. Varela Cid, primeiro hidroplanador construído no nosso país que efetuou o seu primeiro voo a 4 de Janeiro pela mão de Paulo Viana.

Entre 1935 e 2009

A 2 de Junho de 1935 organiza a 1ª Exposição Internacional de Aeronáutica, no Palácio das Exposições em Lisboa, sob a batuta do Coronel Pinheiro Corrêa, evento que foi sobejamente difundido pela imprensa em várias capitais europeias.

Em 1937 é criada a “Revista do Ar”, órgão oficial do AeCP, graças ao esforço do seu fundador, Francisco Barão da Cunha, desaparecido prematuramente aos 27 anos de idade.

Em Junho de 1956, com o patrocínio do Jornal “O Século”, o AeCP leva a efeito a “1ª Volta Aérea a Portugal” e, em Dezembro de 1959, aquando das comemorações do seu 50.º aniversário, o Presidente da República deslocou-se à sua sede na Av. da Liberdade, onde impôs no seu estandarte a Comenda da Ordem Militar de Cristo, pelos relevantes serviços prestados à causa aeronáutica em Portugal.

A 11 de Dezembro de 2009 o Aero Club de Portugal comemorou o seu centenário e, consequentemente, o centenário da aviação em Portugal.


Os Presidentes do Aero Club de Portugal

Sócios Honorários e Beneméritos do Aero Club de Portugal